Eu li: O histórico infame de Frankie Landau-Banks

FullSizeRender

Título: O histórico infame de Frankie Landau-Banks (The disreputable history of Frankie Landau-Banks)

Autora: E. Lockhart

Editora: Seguinte, 2013

Gênero: Literatura Juvenil

Frankie é uma garota de catorze anos que gostava de ler, participava do Clube de Debates, cuidava de seus hamsters e era a princesinha da família. Sempre foi ofuscada pela irmã mais velha e passava despercebida por onde andava.

Mas, durante as férias de verão, a garota nerd se torna uma adolescente forte, decidida, com espírito competitivo, e com uma beleza inusitada.

De volta às aulas para seu segundo ano na tradicional escola Alabaster, Frankie chama a atenção do garoto mais cobiçado do colégio, Matthew Livingston.

Frankie começa a namorar Matthew, mas não se apaixona só por ele, mas também pelo seu círculo de amigos do último ano, todo o universo de camaradagem entre eles e a liberdade daqueles garotos com tanto status na escola.

O único problema é que, por mais que se esforce para fazer parte daquele mundo tão atraente, Frankie está sempre se sentindo inferior aos garotos do grupo. Principalmente quando ela descobre que Matthew faz parte da Leal Ordem dos Bassês, uma sociedade secreta que há várias gerações prega peças pela escola (e não permite a entrada de garotas).

Mas Frankie não se conformará em ser deixada de fora desse grupo secreto. Por mais que ela tente, Matthew não pretender contar seu segredo, mesmo estando tão apaixonado.

Inteligente, curiosa e calculista, Frankie vai manipular a sociedade secreta e provará que é muito mais do que uma garota bonita que namora o cara mais popular.

Mas apesar de possuir as melhores ideias e manipular a ordem para colocá-las em prática, ela também tem momentos de total imaturidade.

Entre suas ações, ela levantará discussões sobre gênero e poder, indivíduos e instituições, e tentará descobrir ainda se é possível se apaixonar por alguém sem abrir mão de si mesma.

Eu tinha muita expectativa ao ler este livro. Já tinha lido o livro “Mentirosos” (leia a resenha AQUI) da E. Lockhart, e me surpreendi com a narrativa leve e ao mesmo tempo impactante da autora.

Mas esse livro me decepcionou pois não encontrei essas mesmas características que me impressionaram na leitura de “Mentirosos”.

É um livro bom de ler, daqueles que você começa num dia e termina no outro. Mas a personagem Frankie não me convenceu, é uma garota inteligente e determinada, mas suas atitudes são infantis e muitas vezes controversas com aquilo que ela mesma defende.

A ideia da autora foi trazer, através da personagem principal, a discussão da igualdade de gêneros e empoderamento feminino. Frankie em todos os momentos iniciava discussões com a família, com os amigos, e até com ela mesma sobre este tema.

As peças pregadas por ela, por meio da Leal Ordem dos Bassês, tinham o objetivo de mostrar a força e a inteligência das garotas. Não eram apenas brincadeirinhas engraçadas como eram as executadas pelos garotos, que só tinham o objetivo de divertir, e mostrar que a ordem secreta sobrevivia através das gerações.

Porém, por mais que os pensamentos e ações dela fossem respaldadas na equalidade, senti que ela criou essa situação para chamar a atenção de uma só pessoa: o namorado.

No início do livro tive a convicção de que ela iria conquistar tudo o que estava disposta e determinada a provar, mas conforme a história foi se concluindo ela e tornou uma garota bobinha de “highschool”, que acaba fazendo besteiras para não perder o namorado e a popularidade que ele trouxe para sua vida.

Até a próxima!

Meu perfil no skoob 

Perfil da Aline no skoob 

Obrigada pela visita, fico muito feliz pelo seu comentário ;) Volte sempre!